Corpos Fragmentados da América Latina: O Caso de Mano de obra, de Diamela Eltit, e Passageiro do fim do dia, de Rubens Figueiredo

  • Wesley Costa de Moraes
Palabras clave: Rubens Figueiredo, Diamela Eltit, Corpo, Exploração, Cidadania

Resumen

Este artigo analisa as novelas Passageiro do fim do dia (2010), do brasileiro Rubens Figueiredo, e Mano de obra (2002), da chilena Diamela Eltit em seu uso de estratégias textuais que abdicam da representação da violência concreta como retrato das desigualdades sociais que servem de contexto a tais narrativas. Mediante a fragmentação das dimensões social, psicológica e física dos personagens, e em especial desta última, Figueiredo e Eltit dão visibilidade a formas de opressão enquadradas em um regime de  acumulação de capital e de exploração do trabalho assalariado. Desde dialéticas de inclusão e exclusão, a ênfase na corporalidade desponta como referente somático que remete à inferiorização e à segregação social dos personagens.
Publicado
2018-07-11
Sección
Artículos y ensayos