O saber médico e o corpo das mulheres no Brasil colonial: a tradição médica da metrópole na Capitania da Paraíba

Luisa Stella de Oliveira Coutinho Silva

Resumen


No século XVI, a medicina portuguesa passou por mudanças que refletiram o experimentalismo proporcionado pela expansão ultramarina ibérica. Herdeiros da tradição hipocrática-galênica, os médicos portugueses insistiram nas funções reprodutivas do corpo das mulheres e criaram explicações e remédios para problemas relacionados à menstruação e ao parto. Essa tradição foi transplantada e adaptada ao Brasil, onde foi confrontada com novas práticas de curas. Neste artigo, analisaremos as maneiras de pensar o corpo das mulheres neste encontro colonial com base no discurso oficial de tratados médicos. Em seguida, confrontaremos este discurso com a prática médica exercida na Capitania da Paraíba com base em manuscritos de arquivos portugueses e brasileiros.

Palabras clave


Medicina; Mulheres; Brasil colonial; Capitania da Paraíba

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))


DOI: http://dx.doi.org/10.18441/ibam.19.2019.71.145-172

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


IBEROAMERICANA. América Latina - España - Portugal

ISSN (print): 1577-3388
ISSN (online): 2255-520X
DOI: 10.18441/ibam

URL: http://journals.iai.spk-berlin.de/index.php/iberoamericana/index

Contacto: iberoamericana@iai.spk-berlin.de

Esta obra está bajo la licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 3.0 Alemania.

© 2014 | IAI SPK
Ibero-Amerikanisches Institut PK