Prisão e memória na Espanha franquista de El vano ayer, de Isaac Rosa

Resumen

Neste artigo, analisamos a forma como a prisão franquista é apresentada em El vano ayer (2004), de Isaac Rosa, tanto como espaço de repressão política como palco da própria História de Espanha, protagonizada por agentes policiais e por detidos. Utilizando conceitos como “lugar de memória”, “memória colectiva”, “memória na literatura” e “literatura enquanto meio de memória cultural”, veremos como a convergência e a divergência de “testemunhos” de diferentes personagens compõem um romance polifónico que pretende destacar a brutalidade das torturas praticadas pelo regime e contribuir para a construção de uma memória histórica alternativa.

Publicado
2022-11-22
Sección
Dossier